Archivio scritti

Biblioteca
ESCRITOS

Nessa parte estão reunidos todos os textos publicados no site, com imagens autografadas, onde esses existem.

Clicando em cima das imagens pederão ser aumentadas.


O Tríduo Pascal

Lago de Costanza (Suíça), 16 de abril de 1981

As horas mais preciosas do ano, na vida e no pensamento de Chiara Lubich, são aquelas da Semana Santa. 

Estamos vivendo as horas mais preciosas do ano; preciosas para a Igreja que revive, na liturgia, a Paixão, a morte e a ressurreição de Jesus. Preciosas para todos nós do Movimento que temos uma espiritualidade baseada na unidade e em Jesus abandonado.

Leia mais...

O carisma da unidade e a pedagogia

Washington, 10 de novembro de 2000

(Extraído da aula ministrada em 10 de novembro de 2000 na Catholic University of America, de Washington, por ocasião da outorga do doutorado honoris causa em pedagogia.)

[...]

O nosso Movimento pode ser visto também sob os aspectos teológico, filosófico, cultural, social, econômico, educativo e artístico, bem como sob o aspecto ecumênico ou inter-religioso. Tentarei agora expor algumas consequências pedagógicas dos pontos mais significativos de sua espiritualidade.

De fato, o nosso Movimento e a nossa história podem ser vistos como um grande e extraordinário evento educativo. Nele estão presentes todos os fatores da educação e também é evidente a presença de uma teoria da educação, de uma pedagogia bem delineada que fundamenta a nossa ação educativa.

Mas – perguntemo-nos logo – o que é a educação?

Leia mais...

Come imaginar o mundo unido?

Loppiano, 6 de maio de 1995 

Uma resposta aos habitantes da Mariápolis permanente Renata de Loppiano. É o sonho de Deus, que Chiara Lubich vê realizar-se…  

“[…] Como deverá ser realmente o “mundo unido” segundo os planos de Deus?”

 Chiara: […]  Vejam: Todos nós caminhamos rumo à realização do desígnio de Deus de reunir em Cristo todos os homens, todas as coisas. Portanto, o “mundo unido” não é uma invenção focolarina; poderia ser uma invenção cristã, é uma ideia cristã. Portanto, caminhamos rumo ao “mundo unido”. Apesar de tudo o que acontece no mundo, caminhamos rumo a um “mundo unido”. 

Acontecerá em breve, será mais tarde? Nós não sabemos, mas se caminha.

Leia mais...

Para viver a Quaresma

Castel Gandolfo, 29 de fevereiro de 1992

Esta pergunta de um jovem a Chiara Lubich abre horizontes surpreendentes para ser “vazio de si mesmo”, portanto para ser “nada” e viver plenamente o caminho do Amor. Um convite para este Ano da Misericórdia. 

Caríssima Chiara, fiquei entusiasmado pelo seu modo de viver o "ser nada". Como podemos viver o "ser nada" como você?"

Bem, eu procuro ser "nada" também agora, por exemplo, vivendo a Palavra, ou fazendo a vontade de Deus e não a minha. É vontade de Deus que eu esteja aqui com vocês. Parecia-me justo, parecia-me ser esta a vontade de Deus. Portanto não faço a minha mas... Na verdade, era uma alegria tão grande para mim vir, que a minha vontade coincidia com a... 

Leia mais...

Maria, «explicação» de Deus

Uma página singular  na sua simplicidade. A vida de Maria nos ajuda a entender Deus, o Amor. Se Deus nos doou Maria como mãe, como não acreditar no seu amor?

A mãe não deixa de amar o filho porque ele é mau, não deixa de esperá-lo se ele está longe, nada mais quer do que reencontrá-lo, perdoá-lo, abraçá-lo, porque o amor de uma mãe perfuma tudo de misericórdia. O amor de uma mãe é superior a qualquer situação dolorosa ou condição penosa em que seu filho se encontra.

Leia mais...

“Como se fosse a sua mãe”

Rocca di Papa, 3 de março de 1983

Um convite para viver melhor o Ano Santo da Misericórdia com um coração de mãe, que não tem fronteiras. 

(…) “Quem dentre vós que não tem pecado seja o primeiro a lhe atirar uma pedra” (Jo 8,7). Jesus disse estas palavras àqueles que desejavam apedrejar a mulher adúltera.

O ponto central dos mandamentos de Jesus é, verdadeiramente, sempre o amor. É por este motivo que Ele não quer que nós, cristãos, condenemos. “Não julgueis”, foi o que de fato nos recomendou, e proclamou: “Bem-aventurados os misericordiosos”. Jesus deseja a misericórdia.

Leia mais...

Um quarto caminho no diálogo ecumênico: o caminho da vida

Paris, 17 de dezembro de 1996

Por ocasião da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos de 2016, uma resposta estimulante e cheia de esperança de Chiara Lubich sobre a contribuição específica dos Focolares para o Diálogo Ecumênico. 

Annie: Chiara, em junho de 1997 se fará um grande congresso ecumênico em Graz, na Áustria, cujo tema será: "A reconciliação, dom de Deus, fonte de vida nova". Tenho a impressão de que essa será uma etapa nova para a unidade dos cristãos. Como reformada e voluntária da Obra gostaria de perguntar: como você vê, Chiara, hoje a nossa contribuição específica para a unidade das Igrejas? Obrigada!"

Chiara: Uma notícia belíssima é que a solução para esse problema explodiu quando estive em Londres e encontrei não só católicos, mas evangélicos, reformados, anglicanos, metodistas e muitas pessoas do nosso Movimento. Fizemos um encontro como este, ou um pouco maior, para o qual vieram todos os membros do Movimento dali.

Foi maravilhoso, porque analisamos juntos a situação ecumênica.

Leia mais...

Uma palavra: amar

Mollens, 10 de setembro de 1987

Quem é o leigo para o pensamento cristão?

Uma questão importante para a maioria dos cristãos, que são justamente leigos. Neste texto de 1987, feito na vigília do Sínodo dos Bispos para o laicado, no qual participou e e se expressou com o tema “Espiritualidade e Movimentos”, a vision sempre atual da  Fundadora dos Focolares. 

Caríssimos,

Desta vez quero falar de algo particular.

A Igreja Católica está prestes a celebrar um acontecimento que, pela especificidade do assunto a ser tratado, interessa sem dúvida às outras Igrejas cristãs. Será o Sínodo sobre os Leigos, a realizar-se no Vaticano no mês de outubro. Participarão dele: cardeais, bispos, alguns sacerdotes e mais ou menos sessenta leigos do mundo inteiro. Entre estes, o papa João Paulo II escolheu também a mim.

Leia mais...

A história dos balõezinhos

Loppiano, 15 de janeiro de 2002

Geralmente, no dia da Epifania, as crianças recebem presentes. E quem se lembra do Menino Jesus? Um acontecimento verdadeiro, narrado por Chiara Lubich às crianças da Mariápolis permanente Internacional de Loppiano. 

(…) Vou lhes contar uma história verdadeira que aconteceu durante o Natal. Em uma cidade chamada Vicenza - é uma história verdadeira - (...) havia um pároco, um sacerdote que tinha chegado há pouco tempo naquela paróquia. Ele ensinou aos meninos e meninas a arte de amar. (...) 

(…) O Natal se aproximava e então o padre disse para essas crianças: “Olhem, o Natal está chegando. Seria bom que vocês fizessem muitos, muitos atos de amor para o Menino Jesus. As crianças responderam: “Está bem!” e começaram a fazer muitos atos de amor.

Na véspera do Natal, antes que o Menino Jesus nascesse, o padre deixou a manjedoura vazia porque o Menino Jesus ainda não tinha nascido.

Leia mais...

Mensagem ao Movimento Político pela unidade do Brasil

Brasília, 28 de novembro de 2003

Chiara Lubich coloca a fraternidade como horizonte no qual é possível pensar em um bem comum a todos os homens, ou seja, pensar na humanidade inteira em termos políticos. Agir nesta direção é tarefa e meta imprescindíveis para a política.    

Ilustres senadores e deputados,

Autoridades presentes,

Senhoras e senhores,

Prezados amigos.

Hoje, os senhores estão reunidos em Brasília, no Congresso Nacional, provenientes dos vários Estados do Brasil, para participar do segundo Encontro Nacional do Movimento Político pela Unidade, que nasceu em Nápoles, na Itália, em 1996. Esse Movimento teve, no prazo de poucos anos, um desenvolvimento surpreendente.

O Encontro Nacional de hoje é um sinal da sua difusão no Brasil, nação que amo muito, pois o seu povo, de grande coração e inteligência, há muitos anos acolhe de modo extraordinário o carisma que a bondade de Deus quis a mim confiar. Não podendo comparecer pessoalmente, como teria desejado, hoje dirijo-me aos senhores por meio dessa mensagem.

Leia mais...

É Natal!

Pensamento espiritual - Dezembro de 2005

Entre as mais esplêndidas e tocantes páginas de Chiara Lubich, certamente estão as que ela escreveu sobre o Natal. Acolhamos o seu desejo de vivê-lo na luz que emana do Natal de Jesus.

As vitrines das lojas estão decoradas para a festa, com bolas douradas, pequenas árvores de Natal, lindos presentes. À noite, as ruas brilham com estrelas cadentes ou cometas. As árvores, nas calçadas, têm os ramos cobertos de luzinhas vermelhas, azuis ou brancas, criando nas ruas uma atmosfera mágica...

Percebe-se a expectativa. Todos estão envolvidos...

Natal não é apenas uma recordação tradicional: o nascimento daquele menino há 2005 anos... Natal é algo vivo! E não só nas igrejas, com os seus presépios, mas também entre as pessoas, devido ao clima de alegria, de amizade, de bondade que todo ano ele cria. 

Leia mais...

correio

Contact Icon

Muitas pessoas, em muitos lugares, se encontraram com Chiara. Ficaríamos agradecidos a todos aqueles que nos mandarem recordações, documentos inéditos, fotos...
clique e nos envie

quem está online

Temos 167 visitantes e Nenhum membro online

na livraria

libro folonari-2012

login staff

Este site utiliza cookies, também de terceiros, para oferecer maiores vantagens de navegação. Fechando este banner você concorda com as nossas condições para o uso dos cookies.